Processo julgado sem resolução do mérito, por entender que a parte deve esgotar todas as vias administrativas antes de ingressar no Judiciário, é caso de Recurso Extraordinário?

Como identificar se é caso para Recurso Extraordinário?

Sabe aquela velha história do STF de que “violação reflexa” à Constituição Federal não é caso de Recurso Extraordinário, mas sim de Recurso Especial? Pois é… com o CPC/15 esses casos se multiplicarão, já que são muitas as disposições constitucionais que foram

"De agora em diante eu gostaria de me defender assim: é porque eu quero. E que isso bastasse." (Clarice Lispector - A Descoberta do Mundo)

O dever de fundamentação dá trabalho! Ainda mais com o art. 489 do CPC/15

“De agora em diante eu gostaria de me defender assim: é porque eu quero. E que isso bastasse.” (Clarice Lispector – A Descoberta do Mundo) É ou não é o sonho de todo mundo – juiz, advogado, parte, MP? Imagina