Reconvenção em petição própria? NÃO!

Reconvenção em petição própria? NÃO!

No CPC/73 nós tínhamos dois modelos para o réu formular um pedido contra o Autor. No procedimento ordinário, o réu, em prazo idêntico ao da contestação, apresentava uma peça de reconvenção. Já no sumário, autorizava-se o pedido contraposto, bem mais simples e limitado do que a reconvenção, e formulado na própria contestação (art. 278, §1º do CPC/73).

Agora mudou.

O CPC/15 acabou com o procedimento sumário, e simplificou a apresentação da reconvenção. Seu art. 343 dispõe que a reconvenção será apresentada dentro da contestação.

Como já vimos aqui, é uma tendência deste código reduzir o número de incidentes, tendo acabado com a forma incidental das exceções de incompetência, de gratuidade de justiça e do valor da causa. Seguindo essa lógica, também inclui a reconvenção na própria contestação.

Se os juízes já reclamam do tamanho das contestações, imagina agora! Vai ser impossível ser sucinto.

Vale lembrar, que o réu pode não contestar os pedidos do Autor, e ainda assim formular reconvenção. Nesse caso, ela virá em peça própria.

 

 


NOVO: Já conhece as vídeo-aulas? Acesse aqui e aprenda sobre o novo CPC de forma leve e descontraída.

Como já sabem, vou seguir com publicações frequentes aqui no site, e em minha página do Facebook, e além da coluna no JusBrasil. Me acompanhe e fique por dentro das novidades do Processo Civil.

, , ,